FFArtboard 7.png
FFArtboard 6.png
FFArtboard%205_edited.png
happening

Serenatas de Amor           

27 MARÇO

                                                                                                         

ÉVORA: ELVAS :MINDELO 

NO DIA MUNDIAL DO TEATRO

Estas 3 cidades junta-se a ler-vos cartas de amor à Janela.

Foram, durante o primeiro confinamento, convidadas 46 pessoas, para escrever cartas com esta premissa:
Uma carta de amor a um amante desconhecido durante o isolamento social devido ao Cóvid 19.

46 pessoas diferentes: barmens, poetisas, activistas, músicos, muitos actores e artistas ,cada um partiu desta premissa para onde a premissa os levou ?

O que temos no final são quarentenas e amores muito diferentes, como diferentes são os membros do publico que encontrámos e vamos ainda encontrar para contrariar a solidão dos dias do confinamento.

 

Começamos ás 10:30 no centro histórico de Elvas às 11 já estamos a começar no Centro Cultural do Mindelo a sair para ocupar toda a ilha. 
Durante a tarde em Elvas segue-se para a periferia e em Évora volta-se a ocupar as ruas com serenatas um ano depois mas das quais a cidade ainda não se esqueceu.
Para as marcações de Évora enviar uma mensagem escrita com a morada para o 962791435, ou prodcolb@gmail.com ou por aqui ou por ali, Em Elvas 916820573 OU geral.umcoletivo@gmail.com

Ficha técnica e artística

Criação : Vanda R. Rodrigues.

Interpretes: Vanda R Rodrigues, Catia Terrinca , Flavia Gusmão, Aldina da Luz,John D’Brava, Helena Moscoso, Stephanie Silva, Maria Lourdes Fonseca, Aurisanda da Luz, Maria Lourdes Fonseca

APOIOS: Direcção Geral de Cultura do Alentejo, Um colectivo, Centro Cultural do Mindelo, Camara Municipal de Évora.

Nasceu no Estoril em 1987. Formada pela Escola Profissional de Teatro de Cascais, pela Universidade de Évora e Universidade Estadual de Campinas (BR), terminou recentemente uma Pós-Graduação em Dramaturgia e Guionismo na ESMAE.

Directora Artística da Colecção B Associação Cultural (Évora) onde programa vários Ciclos de artes performativas contemporâneas.

Durante seis anos leccionou Teatro/Circo nos cursos de fim de tarde do Chapitô (Lisboa) onde todos os anos apresentou um espectáculo diferente, todos com dramaturgias originais.

Em 2015, foi uma das representantes portuguesas no projeto École Des Maîtres com a coordenação do encenador Ivica Buljan (HR).

Trabalhou como intérprete com Mickaël de Oliveira no Coletivo 84, Fernanda Lapa na Escola de Mulheres, Rodrigo Francisco na Companhia de Teatro de Almada, Carlos Avilez no Teatro Experimental de Cascais e ainda com Marta Bernardes e Pedro Gil.

Criou para o festival Escrita na Paisagem a performance “Kamasutra machine”, para a Música Portuguesa a Gostar dela Própria a vídeo performance “Sapateando” e “Processa-me: uma carta de amor a Neto de Moura”.

Apoiou a criação de “A cada velhinha que ela grava é a minha avó que não morre” para A Música Portuguesa a Gostar Dela Própria/ TNDM II e “Memorial” de Lígia Soares.

Em 2019 o seu solo “Espectáculo de amor” estreou no Serralves em Festa e foi depois apresentado em várias cidades portuguesas. Em 2020 criou a peça radiofónica “Combate de amor” para a Um Colectivo .

Escreveu, dirigiu e interpretou Manifesto Funesto para a Colecção B/Artes à Rua.

Encontra-se neste momento a co-criar “Plano comensal de leitura” de Marta Bernardes, uma co-produção da Colecção B para o S.Luiz Teatro Municipal/ T.Viriato/ Museu da Cidade.

FFArtboard 8.png