FFArtboard 7.png
FFArtboard 6.png
FFArtboard%205_edited.png
Teatro

Frida Kahlo

Cláudia Gaiolas

Muito longe daqui, do outro lado do oceano, existe um país chamado México. Mé-xi-co. Neste lugar, há muito tempo, muito tempo, viveu uma menina chamada Frida. Frida. Parece Ferida? Mas não é. É Frrrrrida. Frida Kahlo, a maior pintora do mundo.

Este não é um espectáculo sobre princesas, mas sobre uma anti-princesa, uma mulher sem coroa, que não viveu num castelo nem tinha superpoderes, uma mulher comum, lutadora, independente e apaixonada. Porque a vida não é um «conto de fadas», mas vale a pena enfrentar dificuldades e lutar por aquilo em que acreditamos.

Idade recomendada: 3 - 10 anos

Duração: aprox. 35 minutos.

19 JUN - A anunciar

Ficha técnica e artística

Biografia //

Direcção: Cláudia Gaiolas.

Interpretação: Leonor Cabral.

Dramaturgia: Alex Cassal.

Cenografia e figurinos: Ângela Rocha.

Desenho de luz: Daniel Worm.

Sonoplastia: Teresa Gentil.

Fotografia: Estelle Valente.

Produção executiva: Armando Valente.

Co-produção: Teatro Meia Volta e Depois à Esquerda Quando Eu Disse, São Luiz Teatro Municipal e EGEAC - Programação em Espaço Público.

 

Uma encomenda São Luiz Teatro Municipal e EGEAC - Programação em Espaço Público, a partir da colecção Antiprincesas, edição de parceria entre a Tinta-da-China e a EGEAC.

O Teatro Meia Volta e Depois à Esquerda Quando Eu Disser é uma estrutura financiada pela República Portuguesa - Cultura / Direção Geral das Artes.

Cláudia Gaiolas nasceu em Lisboa em 1976. É intérprete e criadora. Foi co-fundadora do Teatro Praga. Tem trabalhado com diversas companhias e criadores, destacando: Mundo Perfeito, Mala Voadora, Truta, Má-Criação, teatro meia volta e depois à esquerda quando eu disser, Teatro da Garagem e ainda Tiago Rodrigues, Tonan Quito, Paula Diogo, Giacomo Scalisi, Madalena Victorino, Jean-Pierre Larroche, Rui Horta, Clara Andermatt, Dinarte Branco, Alfredo Martins e Alex Casal, entre outros.

Encenou diversos espectáculos, dos quais destaca A Mulher que Parou, Os Terroristas, Solo Doméstico, Não sou só eu aqui e As Três Sozinhas (com Anabela Almeida e Sílvia Filipe). Para o S.Luiz Teatro Municipal dirigiu o ciclo Antiprincesas.

FFArtboard 8.png