FFArtboard 7.png
FFArtboard 6.png
Teatro

Plano comensal

de leitura

A partir de “Vamos comprar um poeta” de Afonso Cruz.

De Marta Bernardes.

Co-Criação Ricardo Vaz Trindade, Catarina Carvalho Gomes, Ivo Romeu Bastos e Vanda R Rodrigues.

6 JUNHO

16H       Antigos Celeiros da Epac(Évora)

Bilhetes

(Entrada Livre)

Em Plano Comensal de Leitura, Marta Bernardes lança o desafio: imaginemos cada sala de refeições, cada sala de estar e cada sala de aula como um ambicioso “teatro nacional”. Partindo da novela de Afonso Cruz Vamos Comprar um Poeta, uma história sobre a importância da Poesia, da Criatividade e da Cultura nas nossas vidas, que celebra a beleza das ideias e das ações desinteressadas, o espetáculo põe em discussão o papel do teatro e da arte na coisa pública, pensando-o a partir das pequenas ações privadas e domésticas que cada um pode, consegue ou quer fazer. Em palco, fala-se de política, de beleza e de utopia com sentido de Humor e sentido de Amor.

Ficha técnica e artística

A partir de “Vamos comprar um poeta” de Afonso Cruz.

Direcção Artística: Marta Bernardes.

Co-Criação e Interpretação: Ricardo Vaz Trindade/ Catarina Carvalho Gomes/ Ivo Romeu Bastos/ Vanda R Rodrigues.

Direcção de Produção : Vanda R Rodrigues.

Direcção Técnica: Ricardo Vaz Trindade.

Fotografia: Belmiro Ribeiro..

Convidados especiais: Afonso Cruz

Co-Produção: Colecção B Associação Cultural, São Luiz Teatro Municipal e Teatro Viriato.

Apoios: Governo de Portugal – Ministério da Cultura/ Direção-Geral das Artes

Agradecimentos:  Mala Voadora , C.M.Évora e todos os que resistem na beleza do mundo.

Biografia //

Marta Bernardes (1983, Porto) é licenciada em Artes Plásticas pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Aprofundou o seu estudo em vídeo e mosaico na ESNBA de Paris e concluiu o mestrado em 2008 em Psicoanálisis y Filosofía de la cultura pela Facultad de Filosofía de la Universidad Complutense de Madrid, onde actualmente desenvolve, como bolseira FCT, um trabalho de doutoramento na área da filosofia avançada sob o tema da voz como metáfora do pensamento, propondo uma nova categoria para ler a história de arte do séc. XX baseada na ideia da “acusmatização da experiência estética ocidental”. Desde setembro de 2010 lecciona a disciplina de Artes Plásticas na licenciatura do mesmo nome na FBAUP.